IOP – Instituto de Oncologia do Paraná

Notícias
Voltar

Os cuidados com a pele durante a radioterapia

A radioterapia é um tratamento que utiliza radiações para destruir ou impedir que as células tumorais aumentem. É possível combiná-la com quimioterapia e com outros procedimentos, que podem variar conforme o tumor e o estágio em que a doença é diagnosticada. Além de diminuir o tamanho do tumor, a radioterapia também serve para dar alívio ao paciente que sente muitas dores, no entanto, é importante ter alguns cuidados com a pele durante o tratamento radioterápico.

O cirurgião oncológico Leandro Carvalho Ribeiro, do Instituto de Oncologia do Paraná (IOP), conta que, por alguma razão, é bastante comum a pele ser deixada em segundo plano, pois as pessoas muitas vezes esquecem que também se trata de um órgão e que é muito afetada pelas radiações com esse tipo de tratamento. “A pele pode sofrer queimaduras que são separadas em quatro graus”, esclarece, afirmando que “uma maneira de evitar os efeitos mais perversos na pele é fazer uma abordagem que minimize esses danos, como o cálculo da quantidade de radiação que irá atingir o órgão-alvo, possibilitando uma refratariedade à dose”.

Já que a pele recebe muita radiação, pode ficar com marcas vermelhas, parecidas com uma queimadura de sol, ou até mesmo pequenos ferimentos, conhecidos como radiodermite. Os efeitos variam de paciente para paciente, sendo que alguns também podem apresentar dores, assaduras e secreções após o tratamento. “No grau 1, a pele pode ficar com uma vermelhidão leve ou descamação. No grau 2 são mais comuns sintomas de dor, eritema e inchaços. Já nos graus 3 e 4 ocorrem descamações úmidas mais extensas, que podem evoluir para a necrose da pele ou ulceração”, exemplifica o oncologista.

Essas reações na pele normalmente desaparecem em algumas semanas após o término do tratamento com radioterapia. Porém, além de recursos terapêuticos que podem amenizar esses efeitos, é fundamental que o paciente evite a exposição solar na área irradiada, o uso de cremes, pomadas, perfumes ou outros medicamentos por conta própria. Todos os produtos que se costuma utilizar na pele devem ser evitados antes e após a seção de radioterapia. “Cada paciente irá reagir de forma diferente durante o procedimento, por essa razão é fundamental informar qualquer diferença na pele ou sintoma para o seu médico. Dessa maneira, será possível realizar um tratamento assertivo para proteger as regiões afetadas”, explica o cancerologista Leandro Carvalho Ribeiro.

5 dicas para proteger a pele durante a radioterapia:

  • Mantenha a área irradiada limpa e seca;
  • Evite perfumes, cremes e loções com álcool na composição;
  • Não utilize amido de milho ou pó de bebê em lesões nas dobras da pele;
  • Opte por roupas largas para evitar lesões por fricção;
  • Evite expor a área tratada ao sol.

Leia também: Ondas contra o câncer: radioterapia mais precisa e eficaz