IOP – Instituto de Oncologia do Paraná

Notícias
Voltar

Dezembro Laranja: campanha nacional alerta sobre a prevenção do câncer de pele

Diagnóstico precoce é fundamental para o tratamento do câncer de pele

Dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA) apontam que foram contabilizados no último ano cerca de 176 mil novos casos de câncer da pele não melanoma no Brasil, o que representa 95% do total de casos de tumores da pele.

Estatísticas mostram que a região Sul apresenta os maiores índices de câncer de pele do Brasil, sendo o estado de Santa Catarina o campeão em diagnósticos. Buscando conscientizar a população sobre a prevenção, há três anos a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) criou a campanha Dezembro Laranja. Neste ano, o mote da campanha é “Se exponha mas não se queime” e tem como público-alvo os trabalhadores que desempenham funções expostos ao sol, como carteiros, vendedores ambulantes, operários da construção civil, feirantes, dentre outros.

A exposição solar ainda é um dos principais fatores para o desenvolvimento da doença, porém existem outros dois agentes. A causa do câncer de pele é uma associação de fatores, como as características do próprio indivíduo, por exemplo, as peles claras que possuem pouca melanina, possibilitando uma menor proteção aos raios solares. Outra característica determinante é de pessoas com predisposição genética. O câncer de pele é o tumor mais fácil para diagnosticar, pois está na parte exterior do corpo. O autoexame é importante e deve ser feito uma vez ao mês. Todos devem se olhar sem roupa em frente ao espelho. A qualquer sinal de mancha diferente ou novas pintas acompanhadas ou não de coceiras e sangramentos, recomenda-se procurar rapidamente um dermatologista.

O principal fator de novos casos de câncer de pele é a exposição indevida e excessiva à luz solar (das 10h às 16h), por isso é necessário ficar consciente sobre os horários que são menos nocivos à saúde. Também vale ressaltar a importância de se utilizar o protetor solar adequado para cada tipo de pele e fazer uso de acessórios (chapéus de abas largas, óculos escuros) e roupas que exponham o mínimo da pele aos raios do sol.  Atualmente, é possível encontrar no mercado roupas com proteção UV, o que garante uma proteção a mais.

O diagnóstico precoce é fundamental para o tratamento do câncer de pele, mas a prevenção ainda é a principal maneira de se evitar novos casos, por isso a importância de sempre ficar atento aos sinais que aparecem na pele. O tratamento para o câncer de pele é cirúrgico, mas existem casos específicos, como no carcinoma, que pode ser associado com a radioterapia. Depois dos procedimentos, o paciente é acompanhado entre 5 e 10 anos, mas o cuidado será permanente, consultando um dermatologista uma vez ao ano pelo resto da vida.

ABCD do câncer de pele

Para facilitar a percepção de alterações em manchas e pintas, foi criada uma regra chamada de ABCD, que consiste na avaliação de quatro características distintas que podem aparecer na pele. A, de assimetria, significa que a lesão possui formato irregular. B, tem a ver com bordas irregulares, ou seja, os limites externos se mostram irregulares. C, a lesão possui coloração variada (diferentes tonalidades de cor, por vezes sem melanina, sendo que, em áreas intratumorais, por vezes nota-se coloração semelhante à da pele adjacente normal). D, o diâmetro da lesão sendo maior do que seis milímetros. E, de evolução. A lesão torna-se progressivamente maior.