IOP – Instituto de Oncologia do Paraná

Notícias
Voltar

Descubra quais são os tumores que mais atingem as mulheres

Todos os anos, milhares de mulheres no Brasil e no mundo são diagnosticadas com algum tipo de câncer. Muitas vezes, se elas tivessem evitado certos fatores de risco ou realizado os exames preventivos, essa proporção poderia diminuir. O Instituto Nacional de Câncer (INCA) divulgou uma estimativa da incidência do câncer no Brasil, e, para 2018, serão confirmados cerca de 59.700 casos só de câncer de mama, o mais comum entre o sexo feminino, com um risco estimado de 56,33 casos a cada 100 mil mulheres.

A principal forma para descobrir o câncer de mama em fase inicial é através de exames de rastreamento. As estratégias de rastreamento diferem com base no risco individual da mulher, mas a grande maioria das mulheres tem um risco menor do que 15% de desenvolver câncer de mama ao longo da sua vida. Para essas mulheres é recomendada a mamografia de rotina, devendo ser iniciada por volta dos 40 aos 50 anos de idade. No entanto, um número acentuado de casos é diagnosticado em fase avançada, pois muitas mulheres não realizam os exames preventivos.

O segundo tumor mais incidente em mulheres é o câncer do intestino (cólon e reto). Vários fatores potencialmente modificáveis, incluindo obesidade, diabetes, tabagismo, consumo excessivo de álcool e de carne processada e falta de atividade física, foram identificados como de risco para o desenvolvimento do câncer de intestino. Existem vários testes de rastreio possíveis. A escolha do teste a ser feito depende da mulher e do seu médico, e para a maioria das mulheres é recomendado que o rastreamento se inicie aos 50 anos. O câncer do colo do útero é o terceiro tipo de tumor que mais afeta as mulheres, e o seu principal causador é o Human Papiloma Virus (HPV), vírus transmitido principalmente por meio de relações sexuais. Esse tumor costuma ser assintomático na fase inicial e pode ser facilmente detectado durante o exame de papanicolau.

As mulheres também são acometidas com muita frequência por tumores de pulmão, cujo principal fator de risco é o tabagismo, que nas últimas décadas cresceu entre essa parcela da população.

 Independentemente do tumor, é fundamental que as mulheres criem hábitos saudáveis e principalmente mantenham os exames em dia. Também é importante buscar um especialista sempre que perceber algo diferente. É nessa perspectiva que as médicas do Instituto de Oncologia do Paraná (IOP), Claudiane Ligia Minari e Caroline de Nadai Costa, avaliam a realidade das mulheres em relação à prevenção dos tumores malignos.

Percebemos visivelmente que as mulheres estão mais informadas e mais preocupadas, principalmente na diminuição do medo. Isso se deve aos bons resultados que são obtidos quando o câncer é diagnosticado precocemente. O câncer de mama, por exemplo, avançou muito nas estratégias de tratamento, tanto em relação aos medicamentos, quanto às cirurgias, que estão cada vez mais conservadoras. Quanto mais precoces menos mutilantes serão os tratamentos e mais facilmente poderão voltar à rotina.” – Dra. Claudiane Ligia Minari, cirurgiã oncológica do IOP.

Leia também: Saiba por que toda mulher deve fazer o exame de papanicolau

“Todas as mulheres devem manter hábitos de vida saudáveis, como evitar o tabagismo e o consumo excessivo de bebida alcóolica, além de adotar uma dieta equilibrada e praticar atividades físicas regulares. Também é muito importante que não deixem de realizar os exames de prevenção quando se encontram em determinada faixa etária. Adotando essas rotinas no seu dia a dia é possível reduzir ou até mesmo prevenir a ocorrência dos principais tumores que afetam as mulheres. E lembrar que, apesar do acesso mais fácil à informação que é possível hoje em dia em locais como a internet, é de extrema importância que a mulher sempre busque um especialista quando sentir alguma alteração.” – Dra. Caroline de Nadai Costa, oncologista clínica do IOP.